(31) 3454-6106 | (31) 99615-2536 | [email protected] |      

Carta Miss. Moisés e Márcia, Orando pelo Campo Africano

Dacar – Senegal, abril de 2020

Queridos irmãos,

Que o Senhor os abençoe e os supra em cada área da caminhada, neste momento difícil no qual o Brasil e tantas outras nações entraram.

Que o Senhor nos guarde, todos, sob Suas mãos de proteção e que Ele nos leve a buscá-lo com fé e esperança.

Ele, o Senhor, nos fez sal e luz do mundo. Que isto seja real na vida de cada um de nós, no nosso dia a dia.

Meus irmãos, nesta luta que o mundo atravessa, o Senegal não ficou de fora. O governo tem tomado medidas e, dentre elas, no 23 do mês passado foi estabelecido estado de urgência no país, e toque de recolher das 20 h às 6 h da manhã.

Na caminhada ministerial, do 09 ao 13 do mês de março, estive ensinando, na Missão Jocum, a epístola de Paulo aos Romanos.

Depois da minha volta para Dacar, paramos nosso programa na Escola Bíblica e não tivemos mais a reunião de culto na igreja. Na mesma semana, as reuniões da igreja passaram a ser on line pelo programa Zoom.

Nesta quinta e sexta-feira compartilharei numa igreja de Dacar sobre a páscoa. Também devo compartilhar para esta mesma igreja sobre a vinda de Jesus. Neste domingo, 12,  pregarei  na igreja na qual participamos. Que o Senhor me dê sua Palavra e unção. Todas as ministrações serão on line.

Márcia e eu estamos bem, ainda que neste novo momento no país.

Nossos filhos, Josué e Ana, e nossos familiares estão bem aí no Brasil.

Queridos, que o Senhor nos dê a graça de permanecermos fiéis a Ele e fazendo o que lhe agrada.

Lembrando-se de nós, orem:
– Pela nossa caminhada no campo missionário, pelo suprimento de forças e finanças.
– Pelo nosso irmão e parceiro no programa de formação bíblica, Ross Thomas Hindman. Ele está atravessando um novo vale na área da saúde.
– Pela obra missionária no mundo. Que o Senhor levante mais obreiros para a seara que é grande.
– Pelos nossos líderes, Pr. Ronald e irmã Cecília, e por todos os que trabalham em nossa Agência Missionária aí no Brasil, a Jami-CBN.
– Por todas as autoridades instituídas por Deus, na igreja e no governo de cada nação.
– Pelas igrejas que estão envolvidas na obra missionária. Que o Senhor as abençoe para que não parem neste ministério.
– Para que o Senhor livre as nações desta pandemia.

Recebam nossa gratidão e o nosso abraço.

Moisés e Márcia
Missionários no campo Africano com a JAMI-CBN e você.
“Abençoe-nos Deus e todos os confins da terra o temerão.” Sl.67.7

 

SENTINDO-SE PRESO

Moisés Suriba

“…pelo qual sou embaixador em cadeias”. Ef.6.20

A cadeia vai muito além de um lugar frio, com uma janela e portas gradeadas, e com alguém solitário ali dentro, com mil interrogações na mente, buscando resposta e explicações sobre a justiça de Deus e a do homem.

Sim, alguém pode sentir-se preso por uma circunstância, por uma doença, preso em casa, no escritório, no trabalho, num engarrafamento, na lotação, numa fila, no metrô…, e em mil outras situações, lugares, que você pode, rapidamente, citar.

Você já se sentiu assim?

Quando este sentimento de prisão toma o coração do cristão, o que fazer?
O que fazer quando aquele que foi chamado para a liberdade sente-se numa cadeia?
Seus pés buscam a rua, sua voz busca ouvidos, os seus olhos atravessam paredes, suas mãos buscam atividades, mas, ele mesmo, não pode sair.

Você quer alguns conselhos ?

Primeiro : Levante a cabeça e faça de sua cela um lugar de oração e louvor. E pode acontecer, até, que as portas se abram; mas, como você não é guiado pela razão, mas pelo Espírito, estou certo de que você não aproveitará a porta aberta para saltar fora.

“ Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam. ” At.16. 25

Segundo : Faça da sua cela um local de oração e intercessão. Sim, uma atitude, uma prática, um gesto. Você está orando mesmo! E na prisão.

“ Por esta causa, me ponho de joelhos diante do Pai, de quem toma o nome toda família, tanto no céu como sobre a terra, para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior; ” Ef.4.14-16

Terceiro: Não se deixe vencer pelas algemas, mas compreenda o que o Senhor pode fazer delas.

“ Quero ainda, irmãos, cientificar-vos de que as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho;  de maneira que as minhas cadeias, em Cristo, se tornaram conhecidas de toda a guarda pretoriana e de todos os demais; e a maioria dos irmãos, estimulados no Senhor por minhas algemas, ousam falar com mais desassombro a palavra de Deus.” Fil.1.12-14

Quarto : Faça da cela um local de trabalho. Você é um embaixador do rei Jesus. Assim, o fato de estar numa cadeia, ou se sentindo nela, não minará a sua autoridade. Desempenhe o seu trabalho.

“ com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos e também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho, pelo qual sou embaixador em cadeias, para que, em Cristo, eu seja ousado para falar, como me cumpre fazê-lo.” Ef.6.18-20

Quinto: Não corte a comunicação com os que estão lá fora. Lembre-se, você está preso, não escondido.

“ Quanto à minha situação, Tíquico, irmão amado, e fiel ministro, e conservo no Senhor, de tudo vos informará.” Col.4:7

Sexto: Faça da prisão um local de testemunho de Jesus.

“… sim, solicito-te em favor de meu filho Onésimo, que gerei entre algemas. Ele, antes, te foi inútil; atualmente, porém, é útil, a ti e a mim.” Film.1:10,11

Um último conselho: Faça deste local que o limita, um espaço de paz. A guerra não é contra o governo, contra a nação, contra os vizinhos. Para estes, preguemos a paz com Deus por Jesus Cristo nosso Senhor.

Contra quem você deve lutar ?
“ porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.” Ef.6.12

E, meu amigo, um dia, alguém poderá se perguntar, referindo-se a você: “ Será mesmo que ele esteve preso, ou os presos éramos nós? ”

Leia as cartas da prisão, de Paulo: Efésios, Filipenses, Colossenses, Filemon.